Category Archives: LPI1

Recomendação de conteúdo LPI

tux_luffy

Fala pessoal, ando corrido por isso hoje segue uma dica para seus estudos e melhor ainda de graça.

Site com muito conteúdo de qualidade deem muitos likes.

 

https://www.youtube….sontreinamentos

 

www.bosontreinamentos.com.br

 

Abs!

LPIC1 Major Numbers

tux_kisuke

Durante os estudos para LPI1XX escontrei sobre os major numbers e eles são bem importantes pois nos identificam o tipo de harddisk.

Para obter essas informações faça o seguinte comando.

root@TuX:/home/gustavofranco# cat /proc/partitions
major minor  #blocks  name

8        0  488386584 sda
8        1     524288 sda1
8        2  483780608 sda2
8        3    4079616 sda3
11        0    1048575 sr0

Lista de majors

Os major numbers são assim classificados:
3 – disco IDE.
7 – dispositivo de Loop(não ligado a disco físico).
8 – disco SATA, SAS, SCSI e discos externos.
9 – RAID via software.
Entendendo os minors que também aparecem na saida de cat /proc/partitions
Quanto à nomenclatura de partições, é preciso ter muita atenção pois o Linux as trata de
maneira bem conceitual, a começar pelo limite de partições: 63 no total.
Os minor numbers definem o tipo de cada partição:
De 1 a 4 : simbolizam partições primárias ou extendidas.
De 5 em diante : simbolizam partições lógicas.

Procura treinamentos para certificação LPI de qualidade?

Fala pessoal hoje venho aqui fazer uma super recomendação do amigo Bruno Odon https://br.linkedin.com/pub/bruno-odon/9b/514/5ba/pt o mesmo é LPI3 nível senior e oferece cursos dos 3 níveis com valores super acessíveis nada de te esfaquear para aprender!

Facebook -> https://www.facebook.com/groups/429090070628589/

Para obter os cursos acesse -> http://brunoodon.com.br/

Use com moderação 😉

 

LPI e SUSE reforçam parceria para certificação profissional Linux no Brasil

TUX_BU

Todos os candidatos que obtiveram a certificação LPIC-1 podem solicitar junto à SUSE a certificação CLA, sem a necessidade de prestar novos exames ou o pagamento de taxas.

 

Para garantir que o mercado de trabalho em torno do Linux e das tecnologias de código aberto continue aquecido, o Linux Professional Institute (LPI) e a SUSE, provedora original da distribuição empresarial do Linux e unidade de negócios independente que faz parte do Grupo Micro Focus International, reforçam sua parceria para a certificação de profissionais no Brasil. Por meio dessa iniciativa, quem conseguir uma certificação LPIC-1, terá também preenchido todos os requisitos para obtenção da certificação SUSE Certified Linux Administrator (CLA).

 

O LPI é uma organização sem fins lucrativos, sediada na Califórnia – EUA, que desenvolve um programa de certificação profissional em sistemas Linux reconhecido internacionalmente por empresas, empregadores e profissionais de TI. Jim Lacey, presidente e diretor executivo do LPI, afirma que, segundo o acordo firmado entre as duas instituições, “todos os candidatos que obtiveram a certificação LPIC-1 podem solicitar junto à SUSE a certificação CLA, sem a necessidade de prestar novos exames ou o pagamento de taxas”.

 

Por conta da parceria, a divisão de Serviços e Treinamento da SUSE incluiu os objetivos obrigatórios da certificação LPIC-1 no material didático do curso preparatório para a certificação CLA. Profissionais que já disponham de certificação LPIC-1 válida, podem solicitar imediatamente sua certificação SUSE CLA neste link. De acordo com as duas organizações, a possibilidade de obter um certificado estando em posse de outro vale para o mundo todo, à exceção do Japão.

 

Segundo José Carlos Gouveia, Diretor do LPI para a América Latina, “a iniciativa vai ao encontro de uma necessidade do mercado profissional de TI, aproveitando o momento de maior maturidade e da intensa disseminação das tecnologias baseadas em Software Livre no mercado brasileiro, reconhecendo que o profissional que possui certificação LPIC-1 está apto a administrar sistemas SUSE com a mesma proficiência de um profissional com certificado CLA”.

 

Segundo Marco Leone, country manager da Micro Focus no Brasil, este é o momento ideal para que as duas organizações reforcem suas parcerias. “O mercado de tecnologia se mostrou nos últimos anos como o que mais contrata. Mas os profissionais precisam estar preparados. Acreditamos que esse acordo vai ajudar a profissionalização do mercado de trabalho em torno do Linux e das tecnologias de código aberto”.

 

Para mais informações sobre a iniciativa, os profissionais podem acessar os sites da SUSE e do LPI.

 

Fonte: RMA Comunicação

Pergunta LPI – SPLIT com exemplo

Tux_Worker

José tem um arquivo grande que excede a capacidade de armazenamento de um disquete. Ele quer colocar o arquivo em dois disquestes, para que possa ter com ele quando se juntar a uma competição. Qual comando ele pode executarr para que o arquivo caiba em dois disquetes?

Escolha uma das seguintes respostas:
Pergunta obrigatória.

1    fmt
2   split
3    cut
4    nl

resposta split

exemplo:

1) compactando uma revista em pdf com gzip:  gzip 11_edicao_dezembro_20_12_2013.pdf

2) Checando o tamanho do arquivo com:  ls -lha
-rw-rw-r–  1 gustavofranco gustavofranco  15M Jun  4  2014 11_edicao_dezembro_20_12_2013.pdf.gz

3) Usando o comando split para dividir o arquivo em três parte de 5 megas.

root@TuX:/home/gustavofranco/Segurança Digital# split –bytes=5M 11_edicao_dezembro_20_12_2013.pdf.gz

4) Checando o que foi criado no diretório

root@TuX:/home/gustavofranco/Segurança Digital# ls
11_edicao_dezembro_20_12_2013.pdf     2_edicao_setembro_27_09_2011.pdf  5_edicao_marco_31_03_2012.pdf  8_edicao_setembro_30_09_2012.pdf  xaa
11_edicao_dezembro_20_12_2013.pdf.gz  3_edicao_novembro_27_11_2011.pdf  6_edicao_maio_31_05_2012.pdf   9_edicao_novembro_30_11_2012.pdf  xab
1_edicao_julho_01_07_2011.pdf         4_edicao_janeiro_29_01_2012.pdf   7_edicao_julho_31_07_2012.pdf  teste.gz                          xac

Como podemos analisar foi criado no seguinte formato, XAA, XAB, XAC,

5)Gustavo como faço para montar agora que eu sei splitar( segregar) o arquivo

Fazemos isso com nosso velho amigo cat unido ao ( > )

Exemplo:  root@TuX:/home/gustavofranco/Segurança Digital# cat x* > teste.gz

Usei expressões básicas com o X* (X QUALQUER COISA) e criamos o arquivo teste.gz

Desta maneira você tem seu arquivo de 15 megas novamente.

-rw-r–r–  1 root          root           15M Abr 19 19:06 teste.gz

Descobrindo a arquitetura do processador no Linux

Maneira 1

root@TuX:/home/gustavofranco# file /bin/bash | awk {‘print $3’}
64-bit

Maneira 2

cat /proc/cpuinfo

ou cat /proc/cpuinfo | grep 64

Modo 3

cat /proc/cpuinfo | awk ‘/ 64/’
clflush size    : 64
cache_alignment    : 64
clflush size    : 64
cache_alignment    : 64
clflush size    : 64
cache_alignment    : 64
clflush size    : 64
cache_alignment    : 64

 

É isso abraços!