LPI e SUSE reforçam parceria para certificação profissional Linux no Brasil

Todos os candidatos que obtiveram a certificação LPIC-1 podem solicitar junto à SUSE a certificação CLA, sem a necessidade de prestar novos exames ou o pagamento de taxas.

 

Para garantir que o mercado de trabalho em torno do Linux e das tecnologias de código aberto continue aquecido, o Linux Professional Institute (LPI) e a SUSE, provedora original da distribuição empresarial do Linux e unidade de negócios independente que faz parte do Grupo Micro Focus International, reforçam sua parceria para a certificação de profissionais no Brasil. Por meio dessa iniciativa, quem conseguir uma certificação LPIC-1, terá também preenchido todos os requisitos para obtenção da certificação SUSE Certified Linux Administrator (CLA).

 

O LPI é uma organização sem fins lucrativos, sediada na Califórnia – EUA, que desenvolve um programa de certificação profissional em sistemas Linux reconhecido internacionalmente por empresas, empregadores e profissionais de TI. Jim Lacey, presidente e diretor executivo do LPI, afirma que, segundo o acordo firmado entre as duas instituições, “todos os candidatos que obtiveram a certificação LPIC-1 podem solicitar junto à SUSE a certificação CLA, sem a necessidade de prestar novos exames ou o pagamento de taxas”.

 

Por conta da parceria, a divisão de Serviços e Treinamento da SUSE incluiu os objetivos obrigatórios da certificação LPIC-1 no material didático do curso preparatório para a certificação CLA. Profissionais que já disponham de certificação LPIC-1 válida, podem solicitar imediatamente sua certificação SUSE CLA neste link. De acordo com as duas organizações, a possibilidade de obter um certificado estando em posse de outro vale para o mundo todo, à exceção do Japão.

 

Segundo José Carlos Gouveia, Diretor do LPI para a América Latina, “a iniciativa vai ao encontro de uma necessidade do mercado profissional de TI, aproveitando o momento de maior maturidade e da intensa disseminação das tecnologias baseadas em Software Livre no mercado brasileiro, reconhecendo que o profissional que possui certificação LPIC-1 está apto a administrar sistemas SUSE com a mesma proficiência de um profissional com certificado CLA”.

 

Segundo Marco Leone, country manager da Micro Focus no Brasil, este é o momento ideal para que as duas organizações reforcem suas parcerias. “O mercado de tecnologia se mostrou nos últimos anos como o que mais contrata. Mas os profissionais precisam estar preparados. Acreditamos que esse acordo vai ajudar a profissionalização do mercado de trabalho em torno do Linux e das tecnologias de código aberto”.

 

Para mais informações sobre a iniciativa, os profissionais podem acessar os sites da SUSE e do LPI.

 

Fonte: RMA Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *